Onde mora a saudade?

Onde mora a saudade?

Há saudades doídas demais. Elas se acentuam com o tempo. Quanto mais velha a pessoa, mais a saudade se torna dolorida, sentida, chegando-se às lágrimas. As lágrimas são pérolas diluídas, dizia o poeta. Desde que o choro não seja de mágoa. Lautreamont dizia: “prefiro a morte como mãe ao remorso como filho”. O remorso nos faz réus confessos e condenados no tribunal de nossa consciência.

Dia desses encontrei o Volnei Varaschin, ex–guitarrista do grupo Expresso Rural, banda que na década de 80 balançou toda Santa Catarina com seu disco Certos Amigos. Dizia ele em uma de suas canções: “A saudade é uma faca afiada, que corta os nossos corações, e faz da vida quase nada, na poeira dessa estrada”. Pretendia escrever sobre a amizade, pois ao voltar de Balneário Camboriú, reencontrar o Volnei e reviver alguns momentos daquela década foi como nascer flores no deserto. Como diz meu amigo Laka: “Nós somos sobreviven- tes daquela década”. Reencontrar amigos é reencontrar a própria história. Manter amigos de infância e adolescência é sinal de maturidade emocional. Afinal, relações superficiais até as pessoas superficiais con- seguem. Relação é troca, é uma avenida de duas mãos.

Remorso
Sem pretender, adentrei no terreno do remorso. Afinal todos nós temos remorso de algo feito. Ou não bem feito. Por isso diga sempre a quem ama que o ama, para que o remorso não habite sua consciência. Quantas pessoas passaram por minha vida e talvez eu não tenha dito o quanto elas foram importantes e como deixaram marcas em mim.

Poeta
Lembrei-me do Jairo, meu irmão, que em setembro de 2007, “viajou” antes do combinado, foi para o “Oriente Eterno” aos 46 anos. Poeta, compositor de blues, ritmo americano que fala muito em saudade. Cantava em Camboriú com o encanto dos apaixonados. Meu herói, meu bandido, muito mais que um amigo. Deixou saudades. E a saudade mata a gente também. Parece que a morte é onde mora a saudade.

Amigos
Mas vamos falar de todos os irmãos. Principalmente os irmãos amigos. Se ainda temos o privilégio de ter as pessoas queridas conosco, vamos lembrar de colocá-las no círculo de nossas atenções. Claro que podemos sempre argumentar que não temos tempo e com isso deixamos de lado até a família mais próxima como a esposa e filhos, de nossas prioridades, escravizados que estamos pelas preocupações do mundo. A ansiedade é a neurose de quem tem mais pressa do que tempo. E como andamos apressados! Depois quando tudo passar, poderemos ver o mal que fizemos, e, aí surge o remorso.

O mal
O remorso não é um mal, é uma dor. O mal não é algo externo a nós, mas algo que nos habita. Divide o espaço com o bem, que igualmente habita em todos nós, esta- belecendo um constante duelo até a morte. Todos nós temos dois“lobos”dentro de nós, um bom e outro mau, que vivem brigando. Quem ganha a briga é quem alimentamos mais, pois é o que fica mais forte. Tenho feito força em minha vida para dar mais alimento ao lobo bom. Tenho conseguido.

Certos amigos deo peito
A melhor definição de amigos que eu já ouvi foi de que: “Amigo é a pessoa que sabe exatamente como você é, e mesmo assim continua sendo seu amigo”. Portanto, quero agradecer a todos os meus amigos, que conhecem todos os meus defeitos e mesmo assim continuam sendo meus amigos.

E você?
Tem cultivado amigos ou é apenas network?

Reencontrar amigos é reencontrar a própria história. Manter amigos de infância e adolescência é sinal de maturidade emocional. Afinal, relações superficiais até as pessoas superficiais conseguem. Relação é troca, é uma avenida de duas mãos.

Amigo é a pessoa que sabe exatamente como você é, e mesmo assim continua sendo seu amigo.

Jamil albuquerque,
presidente e instrutor da Master Mind,
autor do livro: “A arte de lidar com as pessoas”,
Ed. Academia de Inteligência.

Authored by: natanael

Deixe uma resposta