Inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, em turmas regulares

Inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, em turmas regulares

Há 18 anos o Colégio Luterano Concórdia de São Leopoldo, RS, tomou a decisão de realizar um trabalho pioneiro na região, introduzindo, nas turmas regulares, alunos com necessidades educativas especiais. No início não havia propriamente um projeto estruturado para atender esta demanda. Nosso começo foi mais social do que pedagógico. A ideia era proporcionar uma vivência saudável no grupo de iguais (mesma faixa etária), acreditando que este dia a dia no grupo era realmente o fator diferenciado que a instituição escola poderia proporcionar a estes alunos.

O projeto hoje em dia é estruturado e busca acolher e trabalhar com toda a família/aluno que procura a escola. Assim a missão e filosofia cristã praticadas pelo Colégio Concórdia são confirmadas: promover aos alunos, famílias, professores e colaboradores a vivência na prática diária do convívio na escola, a solidariedade, a tolerância e o respeito pelas diferenças que caracterizam os diversos atores que constituem a nossa sociedade; proporcionar um ambiente acolhedor e favorável capaz de integrar socialmente o aluno com necessidades educativas especiais, viabilizando a sua autonomia e real inclusão a um espaço na sociedade; e criar condições pedagógicas previstas no currículo, adaptadas à real necessidade de cada aluno com necessidade educativa especial, incluso nas turmas regulares.

Para atingir esses objetivos, o projeto se configura num estudo e ação coletiva entre escola, família e especialistas que acompanham o aluno fora da escola, na busca de viabilizar o processo de inclusão social e pedagógica deste na turma regular. Incluímos, dentro de cada turma regular, um aluno com necessidade educativa especial, que é atendido na sua demanda singular, através de um currículo adaptado. Todo o processo de autonomia social e pedagógica é desenvolvido sob a orientação e supervisão da coordenadora pedagógica e psicóloga escolar. Com esta rede de apoio, o professor planeja e aplica o currículo adaptado conforme a necessidade de cada sujeito. Em alguns casos a proposta prevê o acompanhamento diário de uma professora auxiliar. O aluno é avaliado de acordo com o seu processo afetivo/social/cognitivo, através de parecer descritivo, sinalizando seus avanços e as áreas a serem desenvolvidas. Para cada caso estabelecem-se prioridades, espaços e tempo, que elegem acima de tudo o “bem estar” daquele sujeito.

Entrevista e planejamento

Os interessados, o aluno e a família passam por uma entrevista de anamnese (entrevista realizada pelo profissional de saúde ao seu paciente) onde o dia a dia da criança é de fundamental importância para conhecermos e definirmos a estrutura que devemos organizar para atendê-la em sua demanda específica. Caso perceba-se que a criança necessita de um suporte diário para organizar suas relações com colegas e professora titular em sua aprendizagem, contrata-se uma professora auxiliar que irá trabalhar especificamente com esta criança, dando suporte ao trabalho da professora titular no que se refere ao andamento do processo escolar daquele aluno.

A professora titular tem um planejamento para a turma em geral, e para o aluno com necessidades educativas especiais ela prepara um planejamento que atenda à especificidade daquele aluno. Por vezes o material é totalmente adaptado, em outras o material sofre parcial adaptação. A professora auxiliar deste aluno também tem a orientação de eventualmente preparar material para trabalhar com o aluno, com a supervisão da professora titular em sala de aula. Por vezes, este planejamento mais específico, que sempre passa pela orientação da coordenadora pedagógica, pode ser realizado com o aluno em outros espaços da escola, da biblioteca, do laboratório de informática e de aprendizagem e brinquedoteca. Estes horários podem ser estabelecidos em um cronograma pré-organizado entre a professora auxiliar e a coordenação pedagógica. Por vezes há necessidade de ir para um espaço aberto (pátio/ ginásio), onde o aluno pode sentir-se mais acolhido em sua necessidade. É importante definir que toda esta flexibilidade, toda esta dinâmica de trabalho com o aluno é singular e específica para cada caso.

Sempre que possível, o planejamento individual para este aluno tem que estar em consonância com o conteúdo que o professor titular está trabalhando com a turma. A ideia é de que o aluno siga sintonizado com o andamento da aula e com os demais colegas. Cada caso é único, não há um padrão previsto de trabalho a ser realizado. Este vai ser construído à medida que a professora e a equipe pedagógica vão conhecendo as reais habilidades daquele aluno.

Todos os alunos matriculados dentro deste projeto de inclusão de alunos com necessidades educativas especiais devem ter acompanhamento especializado fora da escola. Cada caso exige um profissional especialista; por vezes há um acompanhamento multidisciplinar, e estes profissionais trabalham junto com a escola o andamento do processo adaptativo e escolar daquele aluno. A família é convocada a tornar-se o terceiro pilar deste processo (escola/especia- listas e família).

Comprometimento

A parceria consciente e de confiança no trabalho que a escola realiza é fundamental para tornar esta família parte do processo que estrutura-se dentro da escola. O apoio da escola à família do aluno é a rede que se fundamenta a filosofia deste projeto. Quando a família percebe que a escola está comprometida com a real inclusão e desenvolvimento educacional do seu filho, acaba gerando uma mudança na perspectiva de vida desta família. A avaliação deste aluno, tal qual todo o processo que se desenvolve dentro da escola é singular e linear ao que o sujeito produza. Ou seja, a avaliação é do seu desenvolvimento baseado em: a especificidade de sua necessidade (a patologia diagnosticada); sua evolução na relação com o outro e o ambiente que o cerca; evolução da aprendizagem e autonomia; e por vezes há a necessidade de este aluno permanecer por mais de um ano em uma mesma série. São casos nos quais se percebe que a criança necessita de um tempo maior para contemplar avanços no seu processo de aprendizagem. Isto é um respeito pela dinâmica especial de cada uma destas crianças com necessidades educativas especiais.

Resultados

Durante esses anos de projeto a escola observa, como resultados dessa prática, que a mudança de perspectiva de vida para a família e para o aluno deste projeto de inclusão reverbera e ecoa sobre todo o nosso processo político pedagógico. Também fortalece, e marca positivamente, através da prática diária, a missão e a filosofia nas quais o Colégio Concórdia acredita, além de permear todas as relações dentro e fora da comunidade escolar.

Os alunos que têm o privilégio de conviver, compartilhar, entender e compreender este colega diferente, os professores que podem dar um novo significado ao seu fazer pedagógico, a equipe de apoio que é desafiada a cada novo aluno que ingressa no projeto, também acabam se beneficiando desta convivência com o mundo real que os cerca. Não é só a família e o aluno incluído no projeto que se transformam. A escola e todo seu “corpo” social se modificam juntos. Desde o porteiro da escola, tias da limpeza, funcionários administrativos, todos vivenciam o projeto de inclusão. Os pais de todos os alunos aqui matriculados são informados, já na entrevista inicial, de que esta é uma escola inclusiva e que com certeza, em algum momento da vida escolar do seu filho, terá como colega um aluno do projeto de inclusão. Isto é a filosofia, isto é a missão do Colégio Luterano Concórdia.

Authored by: viviane

Deixe uma resposta